segunda-feira, abril 01, 2013

Círculo

Em círculos, às vezes em elipses, não saio dali.
Uma vez por outra caminho pelo raio, em passos milimétricos, e depois completo todo o perímetro a passo de corrida. Sempre 2πr. Sem falhas.
Saindo do raio, a área à disposição tem o horizonte πr^2 . Como se não soubesse. Uma combinação perfeita de π, raio e o número dois. Bonita, mas sufocante. Já chega. Quero sair.
Nunca disse, mas já fui espreitar lá fora. O mundo dos triângulos e o dos quadriláteros. Igualmente interessantes, não tão bonitos mas mais do mesmo, com outros perímetros e outras áreas.
Quero um mundo sem perímetros. De áreas infinitas.
Arranjo um mapa e fujo.